Teoria das janelas quebradas, em sistemas de informação

Categories: Uncategorized

A teoria das janelas quebradas tem como base a ideia de que, se uma janela de um edifício for quebrada e não receber logo reparo, a tendência é de que pessoas quebrem as outras janelas, levando por fim a destruição total do local.

O porquê disso se deve ao fato de que uma janela quebrada por muito tempo, cria nos moradores próximos aquela janela a sensação de que todo edifício está em abandono, assim sendo, não haveriam motivos para reparar uma janela quebrada, nem mesmo evitar que outras se quebrem. O sentimento é de que os responsáveis não se preocupam com o prédio, e por isso não há mal algum em ele se deteriorar cada vez mais, até seu fim.

Originalmente baseada no artigo: “Broken Windows” de James Q. Wilson e George L. Kelling, a teoria das Janelas Quebradas em 1996 deu origem ao livro de criminologia e sociologia urbana: “Fixing Broken Windows: Restoring Order and Reducing Crime in Our Communities” de George L. Kelling e Catherine Coles, que foi popularizado na década de 90 pelo comissário de polícia de Nova York William Bratton e pelo prefeito Rudy Giuliani, cujas políticas de policiamento foram influenciadas pela teoria.

Mas então afinal, no que uma teoria popularizada nos estudos sobre criminologia pode nos ajudar em sistemas de informação? Bem, assim como prédios com janelas quebradas são rapidamente vandalizados, sistemas onde não são feitos pequenos consertos quando necessário são rapidamente vistos como sistemas onde nada funciona bem, mesmo que isso não seja verdade, então daí para nenhum novo reparo ser feito, ou até mesmo para que todo o sistema seja substituído por outro, é questão de tempo.

Por isso, para evitar que seu edifícil digital seja destruído, evite deixar suas janelas quebradas!


    Leave a Reply

    Your email address will not be published.